Conhecimento em rede

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Pierre Lévy, filósofo, sociólogo e pesquisador em ciência da informação e da comunicação, nomeou por inteligência coletiva uma forma de pensamento sustentável que é compartilhado com outras pessoas utilizando recursos mecânicos, como a internet.

Discutindo a respeito das tecnologias da inteligência, ou seja, das linguagens, dos sistemas de signos, dos recursos lógicos e instrumentos dos quais nos servimos, Pierre Lévy percebeu como todo nosso funcionamento intelectual é induzido por essas representações. Diante disso, ele afirma que os seres humanos são incapazes de pensar sozinhos e sem o auxílio de qualquer ferramenta.

Portanto, para ele, a inteligência coletiva é uma espécie de projeto. É como uma utopia, uma direção de desenvolvimento para a evolução cultural. Nesse sentido, compartilhamos e trocamos conhecimentos, ao longo dos tempos, costurando os nossos saberes e aprendendo juntes.

📌 A construção de conhecimentos acontece em rede.

Ao longo do Programa Acolher, a turma acolhida teve o desafio de propor soluções para problemas comuns identificados nos territórios. A partir disso, cada pessoa explorou novas ferramentas para gerar possíveis respostas para questões presentes na sociedade, criando narrativas de forma coletiva.

Partindo de um mergulho ainda mais profundo nos sonhos e utopias de cada um, a turma foi instigada a dialogar sobre grandes temas, como a fome e a violência, de forma a construir um caminho entre reflexões e prática.

Dessa maneira, foi possível fortalecer ainda mais os laços e lutas entre cada pessoa mobilizadora de modo a perceberem que, para se construir uma realidade mais justa, não podemos caminhar sós.

📌 Os desenvolvimentos culturais reúnem sabedorias de diversas pessoas.

Para que as mulheres pudessem hoje ter acesso ao voto, muitas outras há muito tempo tiveram que dedicar sua vida por essa causa. Para que existissem cotas raciais nas universidades, diversas pessoas pretas tiveram que lutar arduamente por esse direito. E para que pessoas LGBTQIA+ ocupassem cargos públicos neste momento, muitas outras se empenharam profundamente para expressarem seus ideais e conseguirem um lugar de destaque na sociedade.

Esses e tantos outros exemplos revelam que o conhecimento individual torna-se coletivo quando cada pessoa, dentro das particularidades de sua vida e de sua visão de mundo, compartilha os seus saberes e sonhos com o outro. Esse processo facilita e potencializa a vida em comunidade, já que a somatória de experiências distintas produz um grupo forte e capacitado.

📌 É na construção de diálogos e na comunicação entre todos que, independente da localidade, conseguimos alterar o rumo da história e transformar um bairro, uma cidade, um estado, um país ou até o mundo em um lugar melhor.

Referências:
1. Inteligência Coletiva, texto publicado pelo Mundo Educação UOL.

2. Pierre Lévy – Inteligência coletiva na prática, publicado no YouTube pelo canal Fronteiras do Pensamento, em 11 de novembro de 2013.

Veja também

Assine a newsletter Acolher sobre mobilização social:

Ao clicar no botão “Enviar”, concordo que os meus dados submetidos estão a ser recolhidos e armazenados.

Nós utilizamos cookies neste site

Ao clicar em “Aceitar”, você concorda em armazenar, no seu navegador, os cookies utilizados para melhorar e customizar sua navegação.